DAN Medical Frequently Asked Questions

Back to Medical FAQ List
Bookmark and Share

Não ligue os pontos

Os médicos e pesquisadores da DAN respondem às suas perguntas sobre medicina do mergulho P: Eu estava mergulhando na semana passada em um liveabord nas Bahamas. Todos os dias eu fazia cerca de quatro mergulhos e nunca tive nenhum problema. Eu esperei 24 horas antes de voar de volta para casa, e eu me senti completamente normal durante os voos. Agora, após ter voltado há três dias, eu acordei esta manhã me sentindo péssimo. Minhas articulações doem, eu estou com tontura, com dor de cabeça, e me sinto fraco. Alguns de meus colegas de mergulho experientes tem certeza de que isto é doença descompressiva (DD). O que a DAN acha?

R: É uma tendência humana natural tentar estabelecer causas e efeitos ou "ligar os pontos". Considerar as possibilidades é útil, mas pode ser contra produtivo se auto diagnosticar ou atribuir a culpa rápido demais. Um profissional da saúde deve fazer um diagnóstico de verdade, e os fatos pertinentes devem ser observados objetivamente e dentro do contexto apropriado.

Certamente dores nas articulações, dor de cabeça, tontura e fraqueza estão entre os sinais e sintomas associados à DD, mas nós devemos avaliar estes sinais e sintomas no contexto dos fatos. Este mergulhador relatou não ter tido sintomas após mergulhar. O intervalo de superfície antes de voar estava dentro das orientações recomendadas (um mínimo de 18 horas após mergulhos múltiplos). Pense na razão pela qual é considerado seguro voar após esperar o tempo recomendado: estudos demonstraram que após este período os níveis de nitrogênio no corpo não estão mais altos o suficiente para causar sintomas durante um voo comercial de rotina. Se por algum azar o mergulhador tivesse nitrogênio residual suficiente para causar um problema, os sintomas provavelmente iriam se manifestar durante a exposição à altitude. Este mergulhador não relatou nenhum sinal ou sintoma durante os voos. As chances do nitrogênio ter alguma relação com os sintomas deste mergulhador são basicamente inexistentes.

A maioria dos mergulhadores entende, pelo menos intelectualmente, que o mergulhador pode fazer tudo certo e ainda sofrer um acidente descompressivo. Entretanto, a maioria parece ter dificuldade em aceitar este conceito quando ele de fato acontece. Existe um grande número de casos diagnosticados como DD que não tem uma causa identificada (que não seja respirar gás comprimido em profundidade e subsequentemente retornar à superfície). Mas os mergulhadores frequentemente tentam encontrar algum fator para culpar. Isto é especulação, entretanto, e pode ser contra produtivo.

Se você tiver sintomas após mergulhar, por favor não decida por você mesmo qual deve ser o diagnóstico. Busque avaliação médica. A DAN está disponível para ser consultado por profissionais médicos assim como diretamente por mergulhadores. Sempre considere seus sintomas dentro do contexto apropriado — não ligue os pontos.

— Marty McCafferty, EMT-P, DMT

P: Eu sei que se sentir cansado após um mergulho pode ser um sintoma de doença descompressiva, mas eu quase sempre me sinto cansado após mergulhar. Eu devo me preocupar?

R: O cansaço normal (não patológico) esperado após um mergulho varia de pessoa para pessoa. Fatores como o condicionamento físico individual, estresse térmico, constrição do equipamento, habilidade de mergulho, trabalho realizado durante o mergulho, estresse psicológico (positivo ou negativo) e distrações, todos podem afetar o quão cansada uma pessoa se sente. Embora estas variáveis tornem difícil quantificar o cansaço como sintoma de doença descompressiva (DD), fadiga fora do normal há muito tempo é documentada em associação com outros sintomas de DD.

O mecanismo por trás do cansaço como sintoma de DD permanece evasivo, embora seja possivelmente uma resposta à uma cascata de eventos fisiológicos ocorrendo em vários tecidos. Pode ser através de estimulação direto dos tecidos nervosos ou indiretamente através de estimulação de outros tecidos. É possível que a atenção atualmente direcionada à identificação de marcadores bioquímicos da DD venha a resolver estas questões. Até lá, é sensato dizer que a DD representa uma resposta complexa e multifocal a uma lesão descompressiva. Fadiga anormal ou "indevida" (que é além do cansaço normal para um dado indivíduo e exposição de mergulho) é um sintoma reconhecido.

— Neal W. Pollock, Ph.D.

P: Meu médico recentemente me receitou Coumadin. Mergulhar enquanto tomo este medicamento pode me causar algum problema?
R: Existe um risco bem reconhecido de hemorragia descontrolada em pessoas que estão sendo tratadas com medicamentos anticoagulantes, como o Coumadin. Entretanto, muitas pessoas que tomam anticoagulantes — incluindo mergulhadores — ajustaram cuidadosamente seus tempos de protrombina e com os comportamentos apropriados podem não estar sob riscos excessivos. Alguns médicos acreditam que o mergulho é um risco desnecessário para seus pacientes que estão tomando anticoagulantes e irão contra indicar o mergulho, mas a DAN não tem conhecimento de qualquer dado indicando que mergulhadores esportivos estejam sujeitos a um risco maior de complicações.

Alguns médicos especializados em medicina do mergulho podem estar propensos a autorizar o mergulho recreativo para estes pacientes desde que:
  • O distúrbio subjacente ou a razão pela qual o anticoagulante é necessário não represente para o paciente um maior risco de acidente, doença ou lesão durante o mergulho.
  • O paciente compreenda os riscos e modifique suas práticas de mergulho para reduzir os riscos de barotraumas de orelha, dos seios da face e do pulmão, assim como lesões físicas. Isto inclui evitar equalizações forçadas — a equalização deve ser fácil para estas pessoas.
  • O paciente mergulhe de forma conservadora, planejando perfis curtos e rasos para reduzir o risco de mal descompressivo, que pode envolver sangramento na orelha interna ou medula espinhal.
  • O paciente evite mergulhar em circunstâncias nas quais o acesso aos cuidados médicos apropriados seja limitado

Os médicos da DAN estão disponíveis para serem consultados por você ou por seu médico; não hesite em nos ligar.

— Dan Nord, EMT-P, DMT

P: Ao tentar fazer ventilações de socorro na água a um mergulhador acidentado, por que não posso usar o botão de purga da minha fonte de ar alternativa? Isto me parece mais fácil do que tentar gerenciar uma máscara oronasal para ressuscitarão.
R: O uso do botão de purga de um segundo estágio de um regular já foi proposto várias vezes, mas qualquer vantagem que ele possa oferecer não compensa os potenciais riscos e complicações.

Se o bocal do regular já não está na boca do mergulhador inconsciente, tentar substituí-lo pode ser difícil e demorar muito. Sem uma boa vedação e um meio de ocluir as narinas do mergulhador, qualquer tentativa de ventilação será mal sucedida. Mesmo que o bocal consiga ser colocado com sucesso na boca do mergulhador existe um risco dele empurrar a língua relaxada para o fundo da garganta e bloquear as vias aéreas.

Se o bocal do regulador permanecesse ou fosse colocado na boca do mergulhador sem bloquear as vias aeras, o próximo desafio seria administrar ar. Os botões de purga não tem nenhuma verdadeira capacidade regulatória. Eles efetivamente ignoram a função do segundo estágio de abaixar a pressão do gás da pressão intermediaria para a pressão ambiente, de forma que fornecem gás diretamente do primeiro estágio, na pressão intermediaria. Fornecer gás aos pulmões a uma pressão tão alta pode superinflá-los, podendo causar lesões graves. Se as vias aéreas do mergulhador não forem mantidas em uma posição aberta, o gás fornecido pelo botão de purga pode ir para o estômago, causando distensão gástrica. Isto coloca o mergulhador em risco de regurgitar, o que pode comprometer ainda mais as vias aéreas e levar a uma aspiração.

Fornecer ventilações de socorro usando uma máscara oronasal para ressuscitação, ou método similar, oferece um feedback tátil através das alterações na pressão exigida para ventilar os pulmões; fornecer ventilações de socorro com o botão de purga elimina este importante feedback. Usar o botão de purga de um regulador também exclui a opção de suplementar o gás com oxigênio a 100 por cento.

Os métodos de resgate que são atualmente ensinado por agências de treinamento de mergulho são o resultado de anos de experiência prática. As válvulas de purga nunca foram desenhadas para funcionar como equipamento de resgate. Ao ventilar um mergulhador acidentado, confie nos métodos consagrados.

— Marty McCafferty, EMT-P, DMT

A linha telefônica de Informação Médica da DAN está aqui para tirar todas as suas dúvidas médicas relacionadas ao mergulho. Você pode entrar em contato com a equipe médica durante o horário comercial (Segunda a Sexta, 9h às 17h — horário da costa leste dos EUA) ligando no número +1-919-684-2948, ext. 222. Você também pode enviar um email através do www.DAN.org/contact.

© Alert Diver — 2º Trimestre 2014


Other From the Medical Line FAQs