DAN Medical Frequently Asked Questions

Back to Medical FAQ List
Bookmark and Share

EQUALIZAÇÃO DA ORELHA MÉDIA

A equalização da orelha média é uma habilidade básica e imprescindível ao mergulhador que permite a equalização da pressão nos seios paranasais e nos espaços da orelha média com a pressão ambiente.
Conforme os mergulhadores descem na coluna de água, a pressão ambiente aumenta de forma linear a uma taxa de 0,1 kg/cm 2 a cada metro (0,5 PSI a cada pé) e é transmitida através dos tecidos e fluídos do corpo.
A lei de Boyle descreve como o volume de um gás diminui conforme a pressão aumenta, desde que a quantidade (massa) de gás e a temperatura permaneçam as mesmas. A orelha média é uma cavidade rígida exceto pelo tímpano. Portanto, quando a pressão aumenta, a única maneira do volume diminuir é o tímpano se curvar para o interior da cavidade da orelha média (a não ser que gás seja acrescentado ao espaço). Depois que o tímpano se estica até o seu limite, não é mais possível diminuir o volume da cavidade da orelha média, e caso a descida continue, a pressão na cavidade da orelha média permanece menor do que a pressão ambiente. Diferenças modestas de pressão irão causar vazamentos de fluido e sangramento do tímpano e da mucosa que reveste a cavidade da orelha média (barotrauma de orelha grau O´Neil 1). Quando a diferença de pressão atinge 0,35 bar (5 PSI), o tímpano pode se romper em alguns mergulhadores; em uma diferença de pressão maior do que 0,75 bar (10 PSI), a ruptura irá ocorrer na maioria dos mergulhadores (barotrauma de orelha grau O´Neil 2). Além disso, uma mudança brusca e grande de pressão pode causar lesão de orelha interna.

Portanto agora você entende por que durante a descida você deve deixar mais gás entrar em sua orelha média para manter o volume de gás constante e equalizar a pressão. Uma orelha média normal apresenta apenas uma comunicação física com a fonte de gás adicional, e ela é a tuba auditiva que se conecta à cavidade nasal (rinofaringe). Em circunstâncias normais, a tuba auditiva fica fechada, mas toda vez que engolimos ou bocejamos, os músculos em nossa garganta permitem que se forme uma pequena abertura transiente, suficiente para ventilar nossa orelha média e compensar a pressão.

Nada desafia mais nossas orelhas e tubas auditivas do que o mergulho autônomo e livre. Para se tornar um mergulhador autônomo seguro e evitar lesões na orelha média, é essencial que você entenda os efeitos da Lei de Boyle e aprenda a colocar ar ativamente em suas orelhas médias através da tuba auditiva. Nas seções seguintes deste livreto você encontrará diferentes técnicas de equalização para você experimentar.

Na subida, caso o gás não tenha como escapar da cavidade da orelha média, a pressão ambiente diminui e a pressão na orelha média permanece maior. Quando a pressão na orelha média excede a pressão ambiente em 15-80 centímetros de água (cm H2O), o que corresponde a uma subida de 0,5-2,5 pés, as tubas auditivas se abrem e o gás excedente escapa. Se suas orelhas não equalizam na mesma taxa e a diferença de pressão entre elas atinge cerca de 66 cm H2O (2 pés), pode ocorrer vertigem causada por estímulos de pressão desiguais (vertigem alternobárica).

Infecções do trato respiratório superior, rinite, alergias, drogas inaladas, fumar cigarros ou um desvio de septo podem comprometer a equalização. Quando empregadas apropriadamente, as técnicas a seguir são efetivas para a compensação da orelha média e seios paranasais de pessoas saudáveis. Passiva: Não exige esforço. Ocorre durante a subida.

Abertura Voluntária da Tuba Auditiva: Tente bocejar ou mover a mandíbula de um lado para o outro. Até 30% dos mergulhadores conseguem dominar essa técnica.

Manobra de Valsalva: Tampe as narinas e sopre delicadamente através de seu nariz.

Manobra de Toynbee: Tampe as narinas e engula (boa técnica, caso a equalização seja necessária durante a subida).

Manobra de Frenzel: Tampe as narinas enquanto contrai os músculos da garganta e emita o som da letra "k".

Técnica de Lowry: Tampe as narinas e delicadamente tente soprar ar pelo nariz enquanto engole (é uma mistura da Manobra de Valsalva com a Manobra de Toynbee).

Técnica de Edmonds: Empurre sua mandíbula para frente e faça a Manobra de Valsalva ou a Manobra de Frenzel.
# Antes de descer, enquanto estiver com flutuabilidade neutra e sem ar no colete equilibrador (CE), infle delicadamente suas orelhas com uma das técnicas listadas. Isso faz com que você tenha um pouco de ar extra na orelha média e nos seios paranasais ao descer.

  1. Desça com os pés para baixo, se possível. Isso permite que o ar flua para cima para dentro da tuba auditiva e orelha média, uma direção mais natural. Use um cabo de descida ou o cabo de âncora para controlar a velocidade de descida.

  2. Infle suas orelhas delicadamente a cada cerca de meio metro nos primeiros 3 a 5 metros.

  3. Dor é inaceitável. Se sentir dor, você desceu sem equalizar adequadamente. Suba um pouco até a dor passar.

  4. Se você não sentir suas orelhas abrindo, pare e tente novamente; você pode precisar subir um pouco para diminuir a pressão ao seu redor. Não fique subindo e descendo.

  5. Pode ser útil inclinar a orelha bloqueada em direção a superfície.

  6.  Se você não conseguir equalizar, aborte o mergulho. As consequências de descer sem equalizar podem arruinar toda uma viagem de mergulho ou causar danos permanentes e perda auditiva.

  7. Descongestionantes e sprays nasais podem ser utilizados antes do mergulho para reduzir inchaços nas passagens nasais e auditivas. Se o seu médico concordar com a sua decisão de utilizar descongestionantes, utilize-os 1 a 2 horas antes da descida. Eles devem durar entre 8 e 12 horas, por isso você não precisa tomar uma segunda dose antes de um mergulho repetitivo. Sprays nasais devem ser usados aproximadamente 30 minutos antes da descida e geralmente duram 12 horas. Tome cuidado ao usar sprays nasais que não precisam de receita médica; o uso repetitivo pode causar uma reação medicamentosa, com piora da congestão e um possível bloqueio reverso durante a subida. Os descongestionantes podem ter efeitos colaterais. Não os utilize antes de mergulhar se você não tiver experiência prévia.

  8. Se em qualquer momento durante o mergulho você sentir dor, vertigem ou perceber uma perda auditiva súbita, termine o mergulho. Se os sintomas persistirem, não mergulhe novamente e consulte seu médico.


Other Features FAQs