DAN Medical Frequently Asked Questions

Back to Medical FAQ List
Bookmark and Share

Bolsas de Ar Inesperadas

O mergulhador, um homem de 40 anos de idade com mais de 1.500 mergulhos na vida, não tinha nenhum problema de saúde conhecido e disse ter um estilo de vida saudável. Nos meses anteriores ao incidente, ele foi submetido a vários tratamentos de canal e de outros problemas odontológicos sérios. Na semana que precedeu o incidente ele fez diversos mergulhos descompressivos em um rebreather, usando um veículo de propulsão subaquática, sem problema nenhum. Em seu último mergulho de uma série que durou uma semana, o mergulhador sentiu uma pressão chata momentânea em seus dentes inferiores durante a descida; ele não deu muita atenção a isso já que a dor aparentemente diminuiu enquanto ele continuava descendo até uma profundidade máxima de 47 metros. Ao começar a subir após passar 30 minutos a 41 metros, ele sentiu uma dor aguda e forte nos mesmos dentes. Despois de subir mais uns dois metros, o mergulhador percebeu que diversas obturações haviam se soltado. Ao continuar a subida, duas obturações se quebraram e se soltaram de seus dentes. Ele interrompeu a subida por alguns minutos para se recompor e avaliar como chegar à superfície em segurança, e depois prosseguiu.

Para evitar maiores complicações e impedir que os pedaços de obturações danificassem a bailout valve (válvula de emergência) de seu rebreather, ele passou para o seu sistema de segurança em circuito aberto e cuspiu os fragmentos de obturações. Ele então retornou ao sistema de circuito fechado para economizar gás. O seu dupla de mergulho estava atento e o auxiliou com seu veículo de propulsão subaquático e suas carretilhas durante a subida. O mergulhador permaneceu a 29 metros por 10 minutos para lidar com a dor excruciante que ele sentiu em todos os seus dentes inferiores antes de prosseguir com a subida segura à superfície. Alguns dias depois do incidente o mergulhador foi ao dentista, que sugeriu que morder muito forte no bocal do regulador havia gerado uma dor similar à causada por bruxismo, ranger ou travar os dentes. Radiografias usadas para o diagnóstico mostraram que o amalgama (metal) das obturações, em cinco dos dentes do mergulhador, estava danificados ou completamente ausente. Obturações defeituosas podem ter permitido a entrada de ar durante a descida, criando uma pressão contra as estruturas internas do dente, o que iniciou a dor de dente e causou a queda de duas obturações.

O dentista recolocou as obturações danificadas, mas o mergulhador continuou a sentir dor de dente ao mergulhar. Ele procurou uma segunda opinião de outro dentista, que identificou através de outras radiografias que existiam problemas nas obturações de quatro dentes e recomendou a troca. O mergulhador refez as obturações e voltou a mergulhar sem sentir dor de dente. Este foi um caso de barodontalgia (dor de dente causada por alteração de pressão ambiente), também conhecido como barotrauma dental. Quando um mergulhador desce na coluna de água, a pressão ambiente aumenta uma atmosfera a cada 10 metros. Esta alteração de pressão afeta as cavidades do corpo, como as orelhas e seios da face, pois causa uma diferença entre a pressão nas cavidades corporais e a pressão ambiente. Isto é aliviado equalizando-se a pressão. Quando um dente está danificado, restaurado incorretamente ou com uma coroa solta, uma abertura pode permitir que o ar entre no espaço e fique aprisionado durante um mergulho, sem possibilidade de ser equalizado. O mergulhador pode sentir dor de dente durante a descida, enquanto as bolsas de ar que existem nas obturações defeituosas são comprimidas, ou durante a subida, enquanto o ar aprisionado se expande e pode quebrar dentes ou soltar ou expelir obturações.

Neste caso, o mergulhador teve dor de dente na subida devido a obturações defeituosas, o que o diagnostico odontológico subsequente confirmou. O aspecto incomum deste caso foi que um total de cinco dentes foram aparentemente afetados no mesmo mergulho, dois dos quais comprovadamente perderam as obturações durante o mergulho. A barodontalgia geralmente é causada por má saúde bucal, manutenção dentária negligenciada e/ou tratamentos dentários ineficientes. De um total de 347 casos de barotrauma relatados na edição de 2008 do DAN Annual Diving Report, dois casos foram classificados como barodontalgia. Embora seja considerada uma ocorrência rara, a barodontalgia não deve ser ignorada; ela pode levar a potenciais riscos à segurança, como subidas rápidas e julgamento prejudicado durante um mergulho, devido à dor severa.

Este caso, no qual cinco dentes foram afetados por barodontalgia durante o mesmo mergulho, é extremo. Entretanto, ele serve como lembrete de que estar em boas condições de saúde para mergulhar é algo holístico e inclui a saúde bucal. Não é necessário procurar um dentista especializado em medicina do mergulho para fazer checkups odontológicos; é importante visitar regularmente um dentista que ofereça um serviço de qualidade para que você confie na manutenção da sua saúde dentária. A FDI World Dental Federation recomenda que os mergulhadores façam checkups regulares, evitem mergulhar (ou voar em cabines não pressurizadas) nas primeiras 24 horas após qualquer tratamento dentário que exija anestesia e esperem sete dias após procedimentos orais cirúrgicos antes de voltar a mergulhar.

As obturações se deterioram com o tempo. Exames dentários semestrais permitem que o dentista inspecione as obturações existentes e detecte e trate problemas dentários a tempo. Ao manter uma boa saúde oral, os mergulhadores podem evitar a barodontalgia e sorrir facilmente após mergulhar.

© Alert Diver — 1º Trimestre 2014


Other Incident Insights FAQs