DAN Medical Frequently Asked Questions

Back to Medical FAQ List
Bookmark and Share

Ruptura de mangueira do regulador poderia ter sido prevenida

A mangueira de um regulador se rompe a 9 m (30 pés), o que faz com que o mergulhador tenha de realizar uma subida livre.O primeiro mergulho do dia tinha sido em um naufrágio a 26 m (85 pés). Este era o segundo, e a profundidade máxima era de 13 m (40 pés). Fazia 10 minutos que estávamos mergulhando e eu tinha saído de um túnel havia cerca de 30 segundos quando este incidente ocorreu.

A mangueira do meu regulador se rompeu no bocal quando eu estava a 9 m (30 pés). Eu ainda conseguia respirar, mas retornei à superfície porque me encontrava então no meio de uma nuvem de bolhas e não conseguia ver nada. Não tenho certeza sobre o que teria feito se a ruptura tivesse ocorrido enquanto eu ainda estava dentro do túnel. Outros mergulhadores do grupo disseram que eu disparei como um foguete. Exalei por todo o caminho até a superfície, mas ainda assim me senti estranho naquela noite. Meu médico me examinou três dias depois do meu retorno a casa; tudo parecia estar bem.

O regulador pertencia a mim. Quando o inspecionei antes da viagem, parecia que, de um lado da mangueira, o invólucro de borracha estava fora da bucha um pouco mais que do outro lado. Sem pressão na mangueira não parecia um problema mas, com o cilindro em funcionamento, houve uma grande diferença. Não notei o problema quando estava me preparando para entrar na água. Meu dupla tirou uma foto no começo do mergulho, e pode-se ver que a mangueira forma um ângulo no ponto em que se conecta ao segundo estágio.

Se eu tivesse tido mais tempo, teria mandado o regulador para uma revisão, porém só notei o problema na noite anterior à viagem. Não pensei que fosse nada de sério naquele momento, mas agora acho que sim.
Se não parece certo, provavelmente não está certo. Resolva o problema quando você o identificar. Não deixe para outro momento. Felizmente, este incidente terminou sem lesões. O mergulhador não se encontrava a uma grande profundidade, e estava ciente da necessidade de exalar durante a subida. Ele também não devia fazer nenhuma descompressão obrigatória na ocasião. Se ele estivesse a uma profundidade significativamente maior, ou se tivesse de fazer uma descompressão obrigatória, essa situação poderia ter resultado em afogamento, embolia gasosa arterial (EGA) ou doença descompressiva (DD).


Other Case Summaries FAQs