DAN Medical Frequently Asked Questions

Back to Medical FAQ List
Bookmark and Share

Paralisia de Perna de Mergulhador Resolve Espontaneamente

Apesar da resolução espontânea dos sintomas neurológicos pós mergulho, o mergulhador ainda necessita de uma avaliação médica urgente.Num barco de mergulho, num país estrangeiro, um instrutor de mergulho estava conduzindo um treinamento de roupa seca para dois mergulhadores experientes. O treinamento que ocorria num local a 50 minutos da costa, envolveu uma série de mergulhos repetitivos, não descompressivos, usando ar e sem problemas a 20 metros (66 pés) e exercícios específicos de controle de flutuabilidade foram feitos a 10 metros (33 pés) e depois retornaram à superfície.

Alguns minutos após o retorno à superfície, um dos alunos com 50 anos de idade reportou paralisia na perna direita. Um outro aluno a bordo era médico, seus exames indicaram que o mergulhador tinha parestesias em ambas pernas e fraqueza muscular na perna direita.

A tripulação de mergulho iniciou imediatamente a administração de oxigênio de superfície usando uma válvula de demanda. Após 20 minutos da manifestação dos sintomas e 15 minutos de administração de oxigênio, todos os sintomas desapareceram e a força muscular da perna direita retornou ao normal. O líder de mergulho manteve a administração de oxigênio e ligou para a DAN.

A DAN orientou para continuar com os primeiros socorros com oxigênio até que o mergulhador chegasse ao próximo nível de cuidados, independente da aparente recuperação espontânea completa.
Os sintomas relatados neste caso tanto se encaixam no mal descompressivo e no acidente vascular cerebral (AVC). Ambos possíveis diagnósticos podem ter um curso natural semelhante com uma evolução errática que inicialmente oscila entre comprometimento neurológico claro e dramático e um recuperação aparentemente completa. Ambos diagnósticos recessitam de uma intervenção rápida mas o diagnóstico de AVC pode ser retardado caso o paciente seja encaminanhado diretamente para um serviço médico hiperbárico.

Neste caso, o paciente foi encaminhado para uma unidade de pronto atendimento. A equipe médica descartou um AVC e o paciente foi encaminhado para um serviço medico hiperbárico a tempo de receber todos os benefícios do tratamento de oxigênio hiperbárico (OHB).

No momento que esse relato foi escrito, era muito cedo para dizer que era seguro para esse mergulhador retornar à prática do mergulho autônomo. Estudos complementares podem revelar a presença de fatores de risco conhecidos que poderiam explicar a apresentação tão dramática.
Considerando a exposição moderada reportada e ausencia de fatores provocativos como prender o ar ou subida rápida, um embolismo parodoxical através de forame oval patente (FOP) pode ter sido um fator contribuinte. Caso o mergulhador faça testes ou não para FOP, se ele retornar ao mergulho ele deveria ser ainda mais consevador e evitar locais remotos.

— Dr. Matias Nochetto


Other Case Summaries FAQs