DAN Medical Frequently Asked Questions

Back to Medical FAQ List
Bookmark and Share

Mergulhador inexperiente morre emaranhado em alga

Um mergulhador inexperiente que se separou de seus companheiros acabou se emaranhando em uma alga e faleceu.O grupo consistia em três mergulhadores autônomos e um mergulhador livre, que eram todos primos e saíram de barco para a primeira noite da temporada de lagostas. Nenhum deles era cerificado por uma agência de mergulho. Os Mergulhadores Dois e Três eram autodidatas experientes; o Mergulhador Um tinha alguma experiência, mas era o seu primeiro mergulho noturno. O mergulhador livre estava no barco durante o incidente e estava usando apenas máscara, snorkel e nadadeiras para auxiliar.

Os três mergulhadores decidiram capturar lagostas na noite inaugural da temporada de lagostas e aquele era o primeiro mergulho deles naquela noite. Todos os três mergulhadores entraram na água e iniciaram a descida. Com cinco minutos de mergulho, o cilindro do Mergulhador Dois se soltou da correia do seu colete equilibrador e começou a boiar sozinho. O Mergulhador Três conseguiu chamar a atenção do Mergulhador Dois e mostrou-lhe que o seu equipamento estava solto e que precisava ser ajustado.

O Mergulhador Dois sinalizou que estava voltando à superfície e voltou ao barco para arrumar o equipamento. O Mergulhador Três também subiu, sem chamar a atenção do Mergulhador Um, deixando-o sozinho no fundo à procura de lagostas.

Depois de alcançar o barco, os dois mergulhadores notaram que o Mergulhador Um não tinha voltado à superfície com eles. Depois de uma curta busca na superfície, o mergulhador livre localizou o Mergulhador Um a cerca de 8 m de profundidade, enroscado em uma alga. Ele chamou a atenção do capitão do barco e indicou que o mergulhador não estava usando a máscara e que o regulador ainda estava na sua boca. O mergulhador livre fez várias tentativas de nadar até ele e liberá-lo das algas, mas não conseguiu ajudar. O mergulhador livre voltou ao barco e explicou que o mergulhador estava consciente, em pânico e tendo dificuldades para se liberar.

Neste ponto, um quarto mergulhador do barco estava equipado para mergulho autônomo; ele entrou na água e encontrou o Mergulhador Um completamente enroscado em algas espessas. Infelizmente, àquela altura o mergulhador não estava mais usando a sua máscara, tinha perdido o seu regulador e, aparentemente, tinha parado de respirar. Ele trouxe o mergulhador, que já não respirava, à superfície e colocou-o em um pequeno barco pilotado por um bom samaritano que tinha ouvido os gritos de socorro. A ressuscitação cardiopulmonar (RCP) começou imediatamente; o mergulhador foi transportado ao hospital, onde foi declarado morto na chegada.
Os três mergulhadores eram parentes e não eram certificados. Eles tinham acumulado alguma experiência mergulhando juntos muitas vezes anteriormente. No entanto, o Mergulhador Um não tinha tanta experiência quanto os outros e nunca tinha participado de um mergulho noturno antes.

Embora os três estivessem mergulhando juntos, não havia indicação de que estivessem prestando atenção uns aos outros. Quando os dois mergulhadores voltaram à superfície com o problema no equipamento, não houve indicação de que o Mergulhador Um tivesse sido considerado ausente até a chegada deles no barco.

O mergulhador enroscado se separou dos primos e não sabia que eles tinham terminado o mergulho e voltado à superfície. O mergulhador então se embaraçou perigosamente nas algas e afogou-se antes que o mergulhador de resgate conseguisse chegar até ele. O fator desencadeador pode ter sido a separação ou o emaranhamento, provocando pânico.

O cilindro da vítima foi recuperado e descobriu-se que ainda continha 2.200 psi de ar. Se o mergulhador não tivesse entrado em pânico e tivesse permanecido calmo até a chegada do mergulhador de resgate, ele poderia ter sobrevivido a essa experiência penosa.
Mergulhar onde há algas espessas requer treinamento especial, particularmente para se lidar com o emaranhamento. Já no início do nível open water, o treinamento formal ensina sobre os riscos de se mergulhar em algas, a configuração apropriada do equipamento (configuração "mais apertada" do equipamento, não arrastar tubos ou manômetros), e as ferramentas e habilidades necessárias para liberar a si mesmo ou a outros de emaranhamentos. Não foi relatado se os mergulhadores possuíam acessórios cortantes adequados que poderiam ter sido usados para cortar as algas, separando-as do mergulhador enroscado.

Mergulhadores preparados por meio de um treinamento formal deveriam provar menos estresse e ansiedade. O treinamento formal também teria ensinado os mergulhadores a mergulhar em duplas e não em trios. Foi descoberto que muitos acidentes são causados porque a terceira pessoa do grupo perde contato com as outras duas, cada uma pensando que a outra está prestando atenção ao terceiro mergulhador.

Retrospectivamente, parece que se o mergulhador de resgate tivesse entrado na água imediatamente após a localização do mergulhador enroscado, este poderia ter sido salvo, mas trata-se somente de uma especulação. Ter um dive-master ou um mergulhador de resgate no barco, pronto para entrar na água, é importante quando se mergulha em áreas de grande risco.
• Não mergulhe sem treinamento formal.
• Faça um treinamento de especialidade se mergulhar em condições ou ambientes que apresentam riscos específicos, tais como algas, mergulhos noturnos etc.
• Tenha um plano de contingência para perigos conhecidos, compartilhe-o com o seu dupla, e cumpra-o.
• Quando mergulhar em algas, configure o seu equipamento de modo aerodinâmico para reduzir os riscos de emaranhamento.
• Leve acessórios cortantes apropriados para se liberar de um emaranhamento.
• Se estiver enroscado, pare, pense e só então aja.

— Brian Wake


Other Case Summaries FAQs